top of page

Maturana Wines: do desastre à glória

Atualizado: 28 de jun. de 2021


Do desastre à glória. Há pouco mais de uma década, em 2010, um terremoto terrível atingiu o Chile e afetou milhares de profissionais e produtores de vinhos do país. Um deles foi José Ignacio Maturana, ex-enólogo da Casa Silva, que viu a casa da sua família e seus vinhedos destruídos pelo cataclisma. Foi quando ele foi forçado a reconstruir os seus negócios. A decisão tomada foi investir em vinhos de autor, premium, de qualidade excepcional, que refletissem de forma única e natural o seu terroir .


Para isso, José Ignacio Maturana viajou para a Borgonha em 2011. A ideia era fazer vinho durante o inverno chileno. A experiência proporcionou um mergulho nas técnicas utilizadas na tradicional região francesa, compreendendo como os pequenos produtores estavam trabalhando para fazer vinhos de alto nível. Na volta ao Chile, ele, seu irmão Sebastian e sua família inauguraram a Maturana Wines.


A paixão por criar vinhos únicos levou ao resgate do chamado “Método Ancestral”. A elaboração segue um conceito manual, que passa pela seleção de uvas, obtenção de produtos artesanais, de produção limitada. São vinhos classificados como Naturais, com uso de leveduras selvagens e nativas, baixas doses de sulfitos somente no engarrafamento e sem nenhuma intervenção ou correção do vinho na vinificação.


A escolha das uvas privilegia as variedades não comerciais mundialmente utilizadas, provenientes de vinhedos históricos existentes na área central do Chile, existentes desde o início do século passado (aproximadamente 1910). Esses produtores de uvas de qualidades socioculturais ainda cultivam uvas como Pais, Torontel, Semillon, San Francisco, entre outras, resistindo à invasão de plantios intensivos de pinheiro e o eucalipto.


O resultado é impressionante: a Maturana é uma das vinícolas butique mais premiadas do Chile nos últimos anos. Foi eleita o "Melhor Projeto de Vinho do Ano” pelo círculo de cronistas gastronômicos e jornalistas do vinho do Chile. Ainda em 2017, José Ignacio Maturana foi eleito como o enólogo mais inovador do Chile pelo mais importante jornal chileno, "El Mercurio". O reconhecimento prova que o investimento na essência do terroir chileno fez toda a diferença para os rótulos Maturana. Na Vinhos do Mundo, é possível encontrar quatro rótulos especiais, de produção limitadíssima, que expressam a paixão da família Maturana aos vinhos naturais.



MW Carmenère Maturana Wines

Carménère MW 2016 Escolhido como o melhor Carménère do Chile no Guia de Vinho da América Latina “Alistar Cooper MW & Catad’os”, com 94 pontos, é o vinho ícone da linha Maturana Wines. Com uma produção limitada de apenas 15.000 garrafas por ano, é um rótulo 100% artesanal. Elaborado em Marchigue, no Vale de Colchagua, o paraíso dos vinhos tintos no Chile, com Carménère (85%) e Cabernet Sauvignon (15%), 25% do vinho passa por ovos de concreto por 14 meses, os outros 25% do vinho passam por 14 meses em barris de carvalho francês de primeiro uso de 500 litros e os 50% restantes passam por barris de carvalho francês de 225 litros. Depois de engarrafado, ainda descansa por 18 meses antes de ir ao mercado. É um grande vinho, que precisa ser decantado por pelo menos 20 minutos. Tem aromas de groselha maduras, amoras, mirtilos, ameixa preta, alcaçuz, eucalipto, madeira e tabaco. No

paladar é amanteigado, tem uma acidez agradável, taninos poderosos e bem integrado, fruta preta madura complementada com especiarias doces. É equilibrado e tem final longo. Ganhou 93 pontos dos consagrados críticos James Suckling e Tim Atkin.



Naranjo Torontel Maturana Wines

Torontel Naranjo 2019 Eleito o melhor vinho laranja do Chile pelo Guia Descorchados 2020, com incríveis 95 pontos, é elaborado com a uva Torontel de vinhedos com mais 80 anos da região de Loncomilla, no Maule. Foi 100% fermentado em barricas com as cascas, sob intervenção mínima, baixa fermentação, com amadurecimento de 9 meses em ovos de concreto. Na taça mostra um nariz sedutor, com notas florais, damasco, pêssego, casca de laranja e ervas. O paladar é fresco, untuoso e tem ótima persistência. Acompanha bem carnes brancas, frutos do mar, moela bovina e carne de porco.




Garnacha Paigar Maturana Wines

Garnacha Paigar 2018 Elaborado com uvas Garnacha (ou Grenache) enxertadas em vinhas com mais de 100 anos, em Locomilla, no Vale do Maule. Foi envelhecido em tanques de barro durante 10 meses, com leveduras nativas e sem adição de mais nada a não ser a uva. Apresenta aromas frescos de framboesa com uma acidez cintilante, com tons florais que tomam conta da boca. É um vinho para matar a sede, mas também para acompanhar uma boa comida (queijos curados e carnes em geral) devido a seus taninos elegantes. Foi escolhido o melhor vinho Garnacha do Chile no Guia de Vinho da América Latina “Alistar Cooper MW & Catad’os”, com 94 pontos. Ganhou também 94 pontos de James Suckling, 92 pontos Descorchados e 90 pontos de Tim Atkin.


 Negra San Francisco Maturana Wines

São Francisco Negra 2019 Conhecido como Negramoll nas Ilhas Canárias, São Francisco chegou ao Chile com os conquistadores espanhóis que trouxeram as primeiras uvas País e Moscatel. Ao contrário da uva País, é muito menos tânico e também tem uma forte dose de fruta. É um vinho leve e fresco, ideal para dias quentes à beira da piscina. Sua acidez média permite harmonização com pratos de charcuteria leves, peixes, saladas e queijos. Foi eleito o vinho revelação do Guia Descorchados de 2019, com 93 pontos.





Orestes de Andrade Jr. | Jornalista e Sommelier



102 visualizações0 comentário
bottom of page